Perguntas do exame

Perguntas e respostas de certificação Revisão Sistemática e Meta-análise (Coursera)

Familiarize-se com as perguntas do exame de certificação de Revisão Sistemática e Meta-análise de Universidade Estadual de Campinas (Coursera). Todas as questões possíveis.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email

O que é uma revisão sistemática?

É a meta-síntese, ou seja, a meta-análise dos estudos.

Uma revisão com busca sistemática a partir de descritores e palavras-chaves.

Processo de síntese baseado em busca e avaliação crítica para responder uma pergunta estruturada.

Por que fazer revisões sistemáticas?

Para responder uma dúvida científica estruturada.

Para ganhar notoriedade acadêmica com publicação científica.

Para ter o primeiro contato sobre um assunto.

Quando uma revisão sistemática é necessária?

Na incerteza sobre um tema investigado por estudos prévios.

Na necessidade de publicar um artigo rápido.

Na ausência de pesquisas disponíveis na área.

O que é revisão narrativa?

Uma revisão restrita a uma pergunta e transparente em todas as etapas.

Uma revisão ideal para jovens pesquisadores, pois o conhecimento prévio é independente da redação.

É uma revisão ampla e geral sobre determinado tema.

O que é uma revisão integrativa?

É a revisão que combina  evidências  qualitativas e quantitativas.

É aquela que revisa as práticas complementares e integrativas em saúde.

É sinônimo de revisão sistemática, mas feita de forma mais integrada.

O que é uma revisão de escopo (scoping review)?

É sinônimo de revisão sistemática, mas com foco em um escopo definido.

Revisão que combina evidências qualitativas e quantitativas.

Revisão que visa caracterizar as evidências sobre um tópico e identificar os principais conceitos, teorias, fontes e lacunas de conhecimento.

Marque a correta sobre revisões sistemáticas:

Sofre menos influência das opiniões do pesquisador que a elaborou

Sofre muita influência das opiniões do pesquisador que a elaborou

Se a busca é sistemática automaticamente a revisão também é

São resultados viabilizados pelas revisões sistemáticas:

Melhorar a utilização de recursos de pesquisa

Elaboração de protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas

Apontar lacunas no conhecimento que requerem pesquisas

Responder perguntas que não foram pesquisadas antes

Respostas da certificação Revisão Sistemática e Meta-análise

Todas as perguntas do exame possíveis. Respostas 100% precisas. Add-on grátis – E-book premium de marketing digital. “Practical Approach to Digital Marketing”. Ebook de nível acadêmico (510 páginas)

Qual a pergunta de pesquisa e componentes de uma revisão sistemática? de intervenção ou exposição

Cada revisão tem a sua própria característica e a composição da pergunta é variável.

PICOT: problema, informação, consequências, operacionalização e tipo de estudo.

PICOT: população, intervenção ou exposição, comparador, desfecho e tipo de estudo.

A pergunta PICOT estrutura revisões sistemáticas de:

Intervenção ou exposição

De pesquisas qualitativas

De prevalência ou frequência

Como avaliar se a pergunta de pesquisa é factível?

Observar se outros pesquisadores fizeram algo parecido.

Analisar a disponibilidade de estudos primários e se os recursos são suficientes para sua execução. 

Ponderar questões éticas e conflitos de interesses.

A definição da pergunta de pesquisa da revisão deve ser:

Completa e detalhada, independentemente da existência de estudos que a respondam.

Ampla e aberta, sem delimitar os componentes a priori, definição que deve ocorrer nas etapas de busca ou seleção.

Planejada e testada a priori, pois dela dependem etapas críticas como busca e seleção dos estudos.

Constituem estratégias para verificar se a pergunta de pesquisa é relevante e factível:

Contar com a colaboração de grupos experientes

Solicitar a opinião de especialista

Confirmar se há estudos elegíveis em uma busca piloto

Registrar a pergunta assim que tiver a ideia

Registrar o protocolo da pesquisa para que outros grupos ajudem nessa avaliação

Frente a uma pergunta nova e sem estudos publicados, qual seria a melhor conduta?

Realizar uma revisão sistemática sobre a pergunta.

Realizar um estudo primário sobre a pergunta.

Propor uma revisão sistemática e estudo primário.

O acrônimo FINER mostra pontos a serem pensados na elaboração de uma pergunta de pesquisa, são eles:

Se a pergunta é Factível, Impressionante, Nociva, Ética e Redundante

Se a pergunta é Fácil de ser respondida, Importante, Nova, Exclusiva e Realista.

Se a pergunta é Factível, Interessante, Nova, Ética e Relevante.

São etapas diretamente impactadas pela pergunta de pesquisa:

Seleção dos estudos

Elaboração da meta-análise

Definição dos critérios de elegibilidade

Elaboração da estratégia de busca

São etapas da revisão sistemática:

Extração dos dados

Avaliação crítica dos estudos

Seleção pareada dos estudos

Avaliação da qualidade das evidências

Aferição da concordância da seleção

Elaboração da pergunta de pesquisa

Síntese dos dados

Busca pareada nas bases de dados

Redação

Publicação dos resultados

Busca na literatura

Qual a pergunta de pesquisa e componentes de uma revisão sistemática de acurácia diagnóstica?

PICOT: população, intervenção (teste índice), comparador (padrão ouro), desfecho (ex.: sensibilidade e especificidade) e tipo de estudo.

PICOT: população que fez o teste índice (exame em investigação), população que fez o padrão ouro (exame consagrado), desfecho (ex.: sensibilidade e especificidade) e tipo de estudo.

Cada revisão de acurácia tem a sua própria característica e a composição da pergunta é variável.

Qual a pergunta de pesquisa e componentes de uma revisão sistemática qualitativa?

POT: população (contexto e fenômeno de interesse), desfecho (percepções e avaliações) e tipo de estudo (observação dos participantes, entrevista, grupo focal, pesquisa documental etc.).

Por se tratar de um tipo de pesquisa mais profunda e que busca sentido aos fenômenos observados, além de sua mensuração, é impossível resumi-las em revisões sistemáticas da literatura.

Por se tratar de um tipo de pesquisa mais profunda e que busca sentido aos fenômenos observados, além de sua mensuração, é irracional reduzi-las a uma pergunta de pesquisa.

Qual a pergunta de pesquisa e componentes de uma revisão sistemática metodológica?

PICOT: população, intervenção, comparador, desfecho e tipo de estudo. A população seria os estudos e intervenção/comparador, as técnicas metodológicas em avaliação.

Cada revisão metodológica tem a sua própria característica e a composição da pergunta é variável.

Por ser uma revisão em que são avaliados estudos e não pessoas, é infactível estruturar em PICOT: população, intervenção, comparador, desfecho e tipo de estudo.

Frente a uma pergunta nova e sem estudos publicados, qual seria a melhor conduta?

Realizar uma revisão sistemática sobre a pergunta.

Propor uma revisão sistemática e estudo primário.

Realizar um estudo primário sobre a pergunta.

Adota-se o acrônimo PICOT em revisões sistemáticas de avaliação econômica, onde o “O” refere-se ao:

Desfecho do estudo, com destaque ao orçamento.

Tipo de tecnologia analisada, conforme o custo da doença.

Desfecho do estudo, seja compreendendo desfechos clínicos, de qualidade de vida e ou monetários.

Adota-se o acrônimo PICOT em revisões sistemáticas de avaliação econômica, onde o “T” refere-se ao:

Ao tempo do estudo, ou seja, um período pré-definido para a busca.

Ao tipo de estudo, nesse caso as avaliações econômicas completas.

Ao tipo de tecnologia analisada, como medicamento e dispositivos médicos.

São avaliações econômicas completas:

Custo-efetividade, custo-utilidade, impacto orçamentário, custo da doença.

Custo-efetividade, custo-utilidade, custo-benefício, custo-minimização.

Custo-efetividade, custo-benefício, custo-minimização, custo consequência.

Qual a pergunta de pesquisa e componentes de uma revisão sistemática de frequência?

Cada revisão de frequência tem a sua própria característica e a composição da pergunta é variável.

POT: população, desfecho (a frequência – prevalência ou incidência) e tipo de estudo.

POT: problema, operacionalização e tipo de estudo. 

São aplicações em saúde pública das revisões sistemáticas de prevalência:

Estimativa da carga de doença

Análise de impacto orçamentário

Análise da efetividade das tecnologias em saúde

Análise da eficácia e segurança das tecnologias em saúde

A definição da pergunta de pesquisa da revisão deve ser:

Completa e detalhada, independentemente da existência de estudos que a respondam.

Planejada e testada a priori, pois dela dependem etapas críticas como busca e seleção dos estudos.

Ampla e aberta, sem delimitar os componentes a priori, definição que deve ocorrer nas etapas de busca ou seleção.

São conhecimentos básicos para a equipe da revisão sistemática:

Condução de revisões sistemáticas e o tema que está sendo investigado

Estatística Bayesiana

Manejo de bases de dados bibliográficas e softwares de revisão sistemática

Estatística básica e língua inglesa

O revisor principal tem papel:

Centralizador e autoritário, evitando autonomia aos membros

Fundamental no engajamento da equipe e gestão das atividades e dos prazos da revisão

Secundário na condução da revisão em que há equipe consolidada

Que recursos podem ser necessários aos elaboradores de revisão sistemática?

Tradução de estudos

Softwares de revisão sistemática

Softwares para análises estatísticas

Gerenciadores de referências

Impressão de artigos

Sobre os guias metodológicos para elaboração de revisões sistemáticas, é correto:

É impossível elaborar revisões sistemáticas a partir desses guias

Permitem a disseminação e aplicação do método em diferentes contextos

Deturpações do método são raras devido à garantia de qualidade que esses guias permitem

A recomendação PRISMA (Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses) é:

Uma orientação para conduzir revisões sistemáticas, desde o delineamento até a publicação

O guia metodológico para elaboração de revisões sistemáticas da literatura

Uma orientação para redação científica de revisão sistemática

Marque a correta sobre a confiabilidade de revisões sistemáticas:

São delineamentos com pouca orientação metodológica disponível para sua elaboração

São delineamentos sujeitos a falhas e podem conter erros

São delineamentos de alta qualidade com resultados válidos e confiáveis

Registrar um protocolo de revisão sistemática é uma etapa obrigatória?

Sim, pois o registro é essencial para a publicação.

Não, mas registrar é vantajoso aos pesquisadores

Sim, pois com o registro é mais fácil receber apoio técnico

Quais são as vantagens de registrar o protocolo da revisão sistemática?

Aumentar a transparência da revisão

Registrar que essa revisão está em andamento.

Aumentar o número de artigos publicados pela equipe da revisão.

Definir os métodos que serão seguidos na revisão

Recrutar colaboradores para integrar a equipe da revisão.

Em que momento deve-se registrar o protocolo da revisão sistemática?

Após realizar pilotos da busca, seleção e extração, momento em que se terá confiança sobre a viabilidade da revisão e seus métodos

Assim que definir a pergunta de pesquisa, para garantir a originalidade da pergunta e da ideia

Após concluir a revisão sistemática, momento em que se terá clareza dos procedimento de fato empregados

São efeitos de revisões sistemáticas executadas com planejamento inadequado dos seus métodos:

Diminui a concorrência no momento da publicação de uma revisão bem planejada

Podem inspirar outros grupos a errar ao seguir esse exemplo publicado

Os resultados são inócuos uma vez que todos perceberão que a revisão tem problemas metodológicos

Representa desperdício de tempo e de recursos da equipe que elaborou a revisão

O desenvolvimento das estratégias de busca é uma etapa importante da revisão sistemática e deve ser feita:

Repetindo estratégias usadas em revisões sistemáticas prévias

Com estratégias grandes e complexas

Cuidadosamente e testada para identificar os estudos elegíveis

O que é uma base de dados bibliográfica?

São bases que disponibilizam artigos científicos e livros na íntegra

São bases bibliométricas que contabilizam as citações recebidas por um artigo científico

São bases que indexam periódicos científicos

Ao fazer a busca na literatura, por que é importante consultar um bibliotecário?

Esse profissional conhece os mecanismos de buscas e pode indicar estratégias mais adequadas em cada base

Para economizar o tempo da equipe de revisão, apesar de representar um custo

Legalmente, esse é o profissional habilitado a fazer tal atividade

É necessário testar a estratégia de busca antes de aplicá-la?

Testar é desnecessário, consome tempo sem representar ganho na qualidade da estratégia

Depende, se o pesquisador for experiente ele consegue fazer a estratégia de uma só vez

Sim, os testes permitirão ajustar a estratégia até que esteja adequada

Para elaborar a estratégia de busca é necessário:

Ter realizado uma revisão sistemática prévia sobre o assunto

Conhecer bem o assunto, pois o conhecimento sobre as bases é terceirizável

Conhecer o assunto, os sinônimos dos termos de busca e as bases de dados onde as buscas irão ocorrer

O que se entende por literatura cinzenta?

Estudos publicados em revistas científicas que não têm fator de impacto

Ensaios clínicos com resultados estatísticos não significativos (estudos negativos)

Pesquisa publicadas fora dos canais tradicionais de disseminação científica (bases indexadas)

São exemplos de fontes de literatura cinzenta:

Protocolos de ensaios clínicos

Relatos breves (brief reports) em revistas científicas

Publicações governamentais

Dissertações e teses

Sobre a qualidade da literatura cinzenta:

Não é possível fazer um juízo de valor a partir do tipo de publicação

Tem qualidade baixa por não estar disponível em revistas científicas

Depende do fator de impacto da revista em que foi publicada

Qual efeito de pesquisar por literatura cinzenta na revisão sistemática?

Minimiza-se o viés de seleção, que é a inclusão tendenciosa de pesquisas na revisão

Apesar de relevantes para a discussão, a literatura cinzenta exerce pouca influência nos resultados da revisão sistemática

Minimiza-se o viés de publicação, que é a tendência de serem publicados estudos com resultados positivos, principalmente

No desenvolvimento da estratégia de busca, recomenda-se:

A primeira estratégia testada deve ser definitiva, evitando alterações

Fazer uma planilha com todas as estratégias testadas e os resultados obtidos

Tentar cada vez de uma forma até que dê certo, ao acaso

Trata-se de um checklist para revisão por pares da estratégia de busca:

EQUATOR – Enhancing the QUAlity and Transparency Of health Research

PRESS – Peer Review of Electronic Search Strategies

PROSPERO – International Prospective Register of Systematic Reviews

PRISMA – Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses

Qual o efeito de realizar revisão por pares da estratégia de busca?

Aumento da qualidade e minimização de erros

Aumento das bases de dados para rodar a busca

Redução das bases de dados para rodar a busca

A seleção de estudos da revisão sistemática deve ser:

Realizada por um pesquisador e confirmada por outro

Pareada e independente: duas pessoas avaliam a elegibilidade de cada estudo

Realizada por um pesquisador com bastante experiência no tema

Para ter boa qualidade, a seleção deve:

Evitar que um terceiro avaliador decida em casos de discordância

Identificar todos os estudos elegíveis recuperados na busca

Ter elevada concordância entre os avaliadores

Como os artigos duplicados podem ser identificados?

Ao evitar buscar mais de uma base

Não é possível identificar duplicações nesta etapa

Por meio de gerenciador de referências bibliográficas

No processo de decisão sobre a inclusão de um estudo é necessário:

Apenas o título, pois eles refletem de forma clara o tema abordado no artigo 

O texto completo da publicação

Ter acesso ao título e resumo e, para aqueles selecionados nessa triagem, ao texto completo  

O texto completo dos artigos selecionados pode estar disponível:

De forma aberta, com acesso gratuito

De maneira errática, a depender do tipo de artigo

De forma restrita, mediante pagamento ou assinatura

São formas automáticas de obter o texto completo:

Periódicos Capes

Plataforma com esse serviço, como a Ovid e gerenciadores de referências

Assinaturas institucionais de revistas

São estratégias gratuitas para obter o texto completo de artigos com acesso restrito:

ResearchGate

Solicitar ao autor da pesquisa

Pagando para a editora

Unpaywall

Na triagem dos títulos e resumos, espera-se que os revisores:

Selecionem todos os artigos para leitura do texto completo

Sejam conservadores e só excluam estudos que claramente não atendem os critérios

Sejam específicos e só incluam estudos que têm certeza da elegibilidade

Qual a vantagem de usar softwares de gerenciamento de referências?

Extrair automaticamente os resultados dos artigos e facilitar a duplicidade de registros

Gerar os gráficos de fluxo e demais ilustrações automaticamente, facilitando a organização de referências

Facilitar a organização e a citação durante a redação científica e remover a duplicidade de registros

A extração dos dados é considerada:

Uma das etapas mais simples da revisão sistemática

Uma etapa com baixo impacto nos resultados da revisão

Uma das etapas mais trabalhosas da revisão sistemática

São ferramentas possíveis para extração dos dados dos estudos:

Softwares de revisão sistemática

Papel e caneta

Banco de dados personalizados

Robôs (inteligência artificial)

Planilhas eletrônicas

São dados essenciais para extração em uma revisão sistemática:

Delineamento empregado

Critérios de inclusão e de exclusão

Nome do periódico da publicação

Formas de aferição do desfecho

Fator de impacto do periódico

Descrição das intervenções

São etapas passíveis de automatização com uso de robôs:

Busca na literatura

Extração dos dados

Análise do risco de viés

Identificação dos estudos

Sobre os sistemas automatizados em revisões sistemáticas, como é o caso do RobotReviewer, selecione:

Esses sistemas não substituem o ser humano na elaboração de uma revisão sistemática

Esses sistemas substituem o ser humano em algumas etapas da elaboração de uma revisão sistemática

Esses sistemas substituem o ser humano na elaboração de uma revisão sistemática

Como obter dados somente disponíveis em gráficos?

Por meio de softwares que extraem o dado a partir da digitalização da imagem

Procurando pelo relato do dado bruto no texto do artigo

Não é possível extrair esse dado pois acarretará em erros

São estratégias factíveis à extração de dados indisponíveis nas publicações incluídas:

Recondução da pesquisa primária com os mesmos participantes e pesquisadores.

Imputação de valores a partir de critérios pré-estabelecidos.

Digitalização de gráficos e figuras com auxílio de softwares e algoritmos.

Contato com autores para obtenção dos dados faltantes

Busca complementar em outras fontes (conferências, repositórios públicos, relatórios de pesquisa).

Qual é a melhor estratégia para extrair informação de estudos em revisões sistemáticas?

Uso de robôs (inteligência artificial) e posterior checagem pelos pesquisadores

Pareamento e consenso entre os responsáveis pela coleta em caso de divergências

Um pesquisador extrai e outro realiza a conferência

Que viés pretende ser minimizado na revisão com a extração pareada, realizada por dois pesquisadores de forma independente?

Viés de confusão

Viés de aferição

Não há vieses a serem evitados nesta etapa

Além dos dados gerais, são informações importantes de serem extraídas de um estudo:

Registro minucioso do delineamento do estudo, o que facilitará no processo de avaliação crítica.

Critérios de elegibilidade da população (inclusão e exclusão)

Dose utilizada na intervenção ou intensidade da exposição

Critérios empregados para aferir os desfechos

Marque a alternativa que resume os procedimentos para extrair os dados disponíveis em gráficos com auxílio de softwares:

Carregar a figura, calibrar os pontos conhecidos, determinar de qual ponto deseja saber o valor e obter o dado 

Enviar a figura por e-mail para o programador do sistema e aguardar o envio do dado bruto

Imputar dados aleatórios que estejam dentro do intervalo previsto no gráfico

São grupos que possibilitam obter informações sobre ferramentas para extração de dados:

PRESS (Peer Review of Electronic Search Strategies)

Colaboração internacional para a automatização da revisão sistemática   (International Collaboration for Automation of Systematic Reviews)

Grupo de Métodos da Cochrane (Cochane Methods)

EQUATOR (Enhancing the QUAlity and Transparency Of health Research)

PRISMA (Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses)

Como deve ser feita a avaliação da qualidade metodológica dos artigos incluídos na revisão?

De modo padronizado e a partir de critérios que o autor julgar relevante, para permitir análise criativa

De modo padronizado e a partir de guias de redação científica (ex.: PRISMA, CONSORT, STROBE)

De modo padronizado e a partir de ferramentas de avaliação crítica previamente validadas

São fatores principais avaliados no julgamento da qualidade dos estudos:

Qualidade das bases de indexação do periódico

Fator de impacto da revista

Processo de revisão por pares do artigo

Viés de aferição

Viés de seleção

Controle dos fatores de confundimento

Quando adequadamente conduzida, a randomização em um ensaio clínico permite:

Prevenir a tendência subjetiva de melhora com o efeito placebo

Selecionar a melhor população alvo a ser testada

Afastar a influência de fatores de confusão das estimativas

São fatores para avaliar criticamente um ensaio clínico:

Formação dos grupos pelos dias da semana que foi feito o recrutamento

Divisão dos grupos por data de nascimento

Sigilo da alocação dos participantes

Geração da sequência aleatória

Para quais participantes deve ocorrer o cegamento em um ensaio clínico?

Profissionais de saúde que aplicam a intervenção

Analista que irá escolher os testes estatísticos

Pacientes

Pesquisadores que avaliam o desfecho

São pontos importantes a serem avaliados sobre a randomização de um ensaio clínico:

Nível de cegamento, se só os pacientes não tinham conhecimento de qual grupo estavam, ou se os pesquisadores também não tinham essa informação

Sigilo de alocação, para que o pesquisador não tenha tido a possibilidade de manipular essa sequência

Aleatorização adequadamente gerada, por softwares ou tabelas de números randômicos

Fator de Impacto da revista, afinal, se o fator de impacto é alto, a metodologia do estudo é boa

Qual a intervenção que foi utilizada no estudo

São pontos críticos na avaliação de desfechos:

Ausência de cegamento em desfechos suscetíveis ao julgamento do avaliador (viés de detecção)

Proporção de dados perdidos capaz de induzir viés clinicamente relevante na estimativa de efeito (viés de atrito)

Consentimento dos autores dos estudos primários para interpretação divergente do que já foi publicado (viés de interpretação)

São fatores que devem ser considerados na qualidade de estudos pré-clínicos:

Testes genéticos que assegurem a comparabilidade das linhagens avaliadas

Randomização, ocultação da alocação, cegamento e perdas

Comparabilidade entre expostos e não expostos, ausência do desfecho no início do estudo

São ferramentas para avaliar a qualidade de estudos pré-clínicos:

Cochrane risk of bias tool

ARRIVE

CONSORT

CAMARADES

SYRCLES

É um fator que interfere na qualidade dos estudos de coorte:

Comparabilidade entre expostos e não expostos

Randomização dos grupos para intervenção

Cegamento dos pacientes e cuidadores

É um fator que interfere na qualidade dos estudos caso-controle:

Cegamento dos pacientes e cuidadores

Casos e controle provenientes da mesma população

Ausência do desfecho no início do estudo

Qual delineamento deve ser evitado na avaliação do desempenho de testes diagnósticos?

Ensaio clínico randomizado

Caso-controle

Estudo de coorte

É um fator que interfere na qualidade dos estudos transversais:

Ausência do desfecho no início do estudo

Alocação da intervenção entre os grupos

Representatividade da amostra à população-alvo

Como a sensibilidade e a especificidade são calculadas?

Pela proporção de resultados positivos entre os doentes e negativos entre os saudáveis, respectivamente

Pelas proporções de resultados verdadeiros na totalidade

Pela proporção de doentes entre os resultados positivos e saudáveis nos negativos, respectivamente

São guias para avaliação crítica dos estudos incluídos:

Newcastle-Ottawa Scale (NOS) 

STROBE – STrengthening the Reporting of OBservational studies in Epidemiology

CONSORT – Consolidated Standards of Reporting Trials

PRISMA – Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses

Cochrane risk of bias tool

Em que consistem as ferramentas de avaliação crítica dos estudos de uma revisão sistemática?

Geralmente passaram por processo de validação

São ferramentas desenvolvidas pelos próprios elaboradores de cada revisão sistemática

Foram elaboradas por meio de consenso de especialistas da área

São checklists que servem para orientar a escrita científica

São checklists específicos para avaliar cada delineamento

Pode-se definir avaliação econômica como:

Análise comparativa de intervenções/estratégias alternativas em termos de impacto orçamentário na saúde

Análise comparativas de intervenções/estratégias alternativas em termos redução dos custos em saúde

Análise comparativa de intervenções/estratégias alternativas em termos de custos e de desfechos em saúde

Os estudos de avaliação econômica são contexto-dependente, qual o sentido de realizar revisões sistemáticas desse delineamento?

Não é possível fazer revisões sistemáticas desse tipo de estudo

Para verificar qual o custo global médio da tecnologia

Tais revisões permitem conhecer como as tecnologias se comportam em termos globais

Por que é importante analisar criticamente os estudos de avaliação econômica?

Para verificar se a metodologia utilizada no estudo é apropriada e os resultados são válidos

Para criticar os autores do estudo, já que o resultado do estudo também será ruim

Para excluir aqueles estudos que descumprem todos os requisitos metodológicos

De que forma podemos fazer a avaliação crítica de estudos de avaliação econômica?

Por meio do que o avaliador julgar pertinente em cada caso

Por meio do uso de roteiros (checklists) de avaliação crítica validados

Por meio da análise das limitações relatadas nos estudos

Os instrumentos de avaliação crítica de revisão sistemática têm a função primária de:

Avaliar a qualidade metodológica de uma revisão sistemática

Avaliar a qualidade metodológica dos estudos incluídos em uma revisão sistemática

Ser um guia para relatar os resultados de uma revisão sistemática

São fatores considerados na avaliação crítica de uma revisão sistemática:

Qualidade metodológica dos estudos avaliada

Pergunta clara e factível de ser respondida

Critérios de elegibilidade apropriados para a pergunta

Busca por estudos primários detalhada e exaustiva

Protocolo disponível e registrado

Seleção e extração dos dados pareada e independente

A avaliação da qualidade metodológica da revisão sistemática permite:

Produzir evidência de alta qualidade, se a revisão teve boa qualidade metodológica

Produzir evidência de alta qualidade, independentemente da qualidade metodológica da revisão sistemática

Julgar se os métodos de elaboração da revisão sistemática foram bem executados

Na avaliação da qualidade de revisões sistemáticas, que aspectos devem ser considerados em relação à síntese?

Se há presença de heterogeneidade e se ela afeta a agregação dos resultados

Se a técnica de meta-análise foi adequada, com emprego dos instrumentos estatísticos apropriados

Não há necessidade de avaliar criticamente esse aspecto da revisão sistemática

Como a qualidade da evidência e a qualidade da revisão sistemática se relacionam?

A qualidade da evidência resulta da qualidade da revisão sistemática

Uma revisão de alta qualidade produzirá evidência de alta qualidade, por seguir métodos recomendados

A qualidade da revisão avalia se a revisão foi bem conduzida e a qualidade da evidência informa a confiança no resultado gerado

São instrumentos para avaliação crítica de revisões sistemáticas:

PRISMA e STROBE

AMSTAR e ROBIS

QUADAS e Newcastle-Ottawa

São casos em que a meta-análise não é possível:

Quando os estudos mensuraram o mesmo desfecho usando técnicas semelhantes

Desfecho semelhante mensurado de forma não comparável entre os estudos

Ausência de desfecho comum sumarizável entre os estudos

Quando a meta-análise não é possível, quais condutas podem ser tomadas para sintetizar os resultados da revisão sistemática?

Repetir os resultados conforme apresenta em cada texto dos estudos incluídos

Resumo qualitativo (narrativo) dos resultados dos estudos individuais, prioritariamente em tabela para permitir sua comparação

É impossível fazer síntese nessas situações

Como deve ser feita a síntese narrativa nos casos em que a meta-análise não é possível?

Fazer um parágrafo detalhado de cada estudo incluído: o que foi feito e o que encontrou

Agrupar informações semelhantes e esclarecer eventuais padronizações no método

Abandonar o projeto, uma vez que sem meta-análise não pode ser considerada revisão sistemática

Quais as principais formas de quantificar os resultados de um estudo?

Por meio de variáveis dicotômicas, com respostas do tipo sim ou não

De forma ambivalente, sumarizando o que estiver disponível

Por meio de variáveis contínuas, com emprego de escala ou instrumento com resultado contínuo

Em variáveis dicotômicas, são utilizadas como medida de frequência e de associação:

Média e diferença de médias

Probabilidade e risco relativo

Chance e razão de chance (odds ratio)

Como se interpreta um resultado de diferença de médias = 0?

A intervenção ou exposição diminui o desfecho

Existe igualdade entre os grupos

A intervenção ou exposição aumenta o desfecho

Um pesquisador está interessado no desfecho “índice de massa corpórea”. Trata-se de qual tipo de variável?

Ordinal

Contínua

Dicotômica

Um estudo caso-controle avaliou se o hábito de comer carnes cruas está associado a toxoplasmose. Qual é a melhor medida de associação?

Diferença de médias

Risco Relativo

Odds ratio

Como se interpreta um resultado de odds ratio = 1?

Há igualdade entre os grupos

A intervenção ou exposição diminui a chance do desfecho

A intervenção ou exposição aumenta a chance do desfecho

No estudo ACCORD, publicado no New England Journal of Medicine em 2008, compararam-se dois grupos de pacientes diabéticos, divididos randomicamente. Um grupo recebeu tratamento hipoglicemiante intensivo (meta de hemoglobina glicada <6%) e o outro, tratamento padrão (meta de hemoglobina glicada entre 7 e 7,9%). Para o desfecho mortalidade, comparando o grupo de tratamento intensivo com o padrão, foi encontrado um hazard ratio de 1,22 com intervalo de confiança de 95% de 1,01 a 1,46. Qual a interpretação desse resultado?

O tratamento intensivo aumentou significativamente a mortalidade, comparado com o tratamento padrão

O tratamento intensivo aumentou a mortalidade comparado com o tratamento padrão, mas o resultado não foi significativo

O tratamento intensivo reduziu significativamente a mortalidade, comparado com o tratamento padrão

O que é meta-análise?

É a síntese da qualidade da evidência de diferentes estudos

É o mesmo que revisão sistemática da literatura

É a combinação estatística dos resultados de  diferentes estudos

O que a linha vertical do gráfico de floresta de medidas de associação representa?

A linha de nulidade ou de ausência de efeito

A frequência média dos resultados

O ponto em que há significância estatística

Como é calculado o peso do estudo na meta-análise?

Pela heterogeneidade que o estudo contribuiu na estimativa

Pela proporção de casos verdadeiros positivos e verdadeiros negativos.

Pelo tamanho de amostra e número de eventos do estudo

Qual o gráfico é utilizado para representar a meta-análise?

Gráfico de setores

Box-plot

Gráfico de floresta

No cálculo da meta-análise, devem receber mais peso:

Estudos com maior imprecisão

Estudos com menor precisão

Estudos com maior precisão

É um método para cálculo dos pesos dos estudos na meta-análise direta:

Inverso da variância

Razão de verossimilhança

Concordância interobservador

Em que casos o modelo aleatório deve ser empregado?

Se houver significância estatística no resultado

Se observar homogeneidade entre os resultados dos estudos

Se houver heterogeneidade entre os resultados dos estudos

O que é network meta-analysis ou meta-análise em rede?

É um tipo de meta-análise que pode combinar qualquer estudo sobre um assunto

É uma meta-análise comum, mas realizada com intervenções diferentes

É um tipo de meta-análise que envolve a combinação de uma ampla rede de intervenções

Dentre os resultados possíveis de uma meta-análise em rede, o ranqueamento de acordo com a probabilidade que cada tratamento tem de estar entre os melhores é obtida por meio:

Da estatística SUCRA (surface under the cumulative ranking curve)

Dos intervalos de confiança que incluem a ausência de efeito.

Do valor significativo do valor p acima de 0,05

No escopo das meta-análises em rede, a transitividade é interpretada como:

Situação em que as estimativas de evidências diretas e indiretas são semelhantes 

Condição em que, além dos tratamentos adotados, inexistem diferenças sistemáticas entre as comparações disponíveis

Combinação de dados da pesquisa clínica com dados de informação prévia

Qual é a vantagem do RevMan e do R para a realização da meta-análise?

São os únicos que fazem o gráfico da floresta

São gratuitos

São pagos, mas o custo vale a pena

Para fazer meta-análise, é necessário:

Saber programar softwares estatísticos

Contratar estatísticos especialistas em meta-síntese

Conferir os dados extraídos e a comparabilidade entre os estudos

O emprego de software garante meta-análise adequada?

Não. Uma extração errônea de dados, por exemplo, pode alimentar uma meta-análise também errônea

Se forem softwares específicos de meta-análise há essa garantia

Sim, pois o software indica quando os dados foram mal coletados, por exemplo

O que é heterogeneidade?

É a inclusão de estudos multicêntricos na revisão sistemática

É quando o resultado da meta-análise carece de significância estatística

É a variabilidade entre os estudos incluídos na meta-análise

Por que é importante investigar a heterogeneidade?

Para direcionar as análises de viés de publicação

Para permitir aos leitores confirmem se o processo de seleção ocorreu sem viés

Para identificar as fontes de inconsistência entre os resultados dos estudos

Como a heterogeneidade é identificada em meta-análises?

Mediante elaboração e inspeção visual do gráfico de funil

Pela inspeção dos intervalos de confiança dos estudos e testes estatísticos

Em análises de subgrupos sobre dados dos pacientes

Qual resultado do I² apresenta resultado homogêneo?

0%

100%

50%

Análise de subgrupo consiste em:

Excluir estudos com resultados discrepantes a fim de alcançar homogeneidade

Analisar grupos de estudos separadamente, de acordo com características importantes

Analisar todos os estudos incluídos em diferentes grupos de softwares

São formas de explorar causas de heterogeneidade:

Risco relativo ou odds ratio

Análises de subgrupo

Metarregressão

Para conduzir uma metarregressão, recomenda-se que haja pelo menos:

10 estudos incluídos na meta-análise

5 estudos incluídos na meta-análise

20 estudos incluídos na meta-análise

Por que é importante investigar o viés de publicação?

Os estudos com resultados negativos ou desfavoráveis ao interesse comercial são geralmente omitidos

Para ter uma conclusão mais generalizável, uma vez que se deseja extrapolar os resultados da revisão sistemática

As buscas no MEDLINE deixam passar alguns artigos, ao contrário do CINAHL, EMBASE, LILACS e SCOPUS

Qual gráfico é usado na inspeção do viés de publicação?

Gráfico de funil

Metarregressão

Meta-análise

Quais são os principais testes estatísticos usados para estimar o viés de publicação?

Begg, Egger, Harbord, Peters

Haynes, Sackett, Tugwell

Cook, Guyatt, Meade, Rennie

São características do sistema GRADE:

Rebaixar ou aumentar o nível das evidências conforme avaliação.

Afastar o viés de seleção na síntese de evidências.

Permitir a construção de gráficos de floresta (forest plots).

A avaliação da certeza das evidências no sistema GRADE é realizada:

Para cada desfecho de interesse e seu respectivo conjunto de evidências

Com auxílio de pacotes estatísticos que determinam o nível de evidência

Isoladamente para cada estudo identificado na busca de evidências

O que significa um nível alto de certeza ou qualidade da evidência?

Que os estudos observacionais foram elevados devido à sua precisão.

Que estamos muito confiantes de que as estimativas de efeito estão próximas da realidade.

Que as evidências são provenientes de bons ensaios clínicos randomizados.

Que fatores reduzem a qualidade da evidência no sistema GRADE?

Influência positiva dos fatores de confusão

Viés de publicação

Imprecisão

Limitações dos estudos (risco de viés)

Evidência indireta

Gradiente dose-resposta

Grande magnitude de efeito

Inconsistência (heterogeneidade)

Que fatores aumentam a qualidade da evidência no sistema GRADE?

Evidência indireta

Imprecisão

Influência positiva dos fatores de confusão

Inconsistência (heterogeneidade)

Grande magnitude de efeito 

Limitações dos estudos (risco de viés)

Viés de publicação

Gradiente dose-resposta

Podemos elevar a qualidade da evidência em que situações?

Desfechos provenientes de estudos observacionais independentemente de ter a evidência rebaixada na avaliação dos fatores que reduzem a qualidade

Desfechos provenientes de estudos observacionais que não tiveram a evidência rebaixada na avaliação dos fatores que reduzem a qualidade

Desfechos provenientes de ensaios clínicos randomizados que não tiveram a evidência rebaixada na avaliação dos fatores que reduzem a qualidade

Para quais tipos de revisão sistemática devemos avaliar a qualidade ou confiança da evidência por um sistema como o GRADE?

Revisões sobre a prevalência ou incidência de doenças ou agravos

Revisões sistemáticas de ensaios clínicos randomizados, somente

Revisões que avaliam o efeito de uma intervenção, exposição ou diagnóstico que podem embasar recomendações

Que tipo de evidência a revisão sistemáticas de estudo qualitativos pode fornecer para as políticas públicas?

Eficácia, segurança e efetividade das intervenções

Custo e razão incremental de custo-efetividade das intervenções

Aceitabilidade, viabilidade, questões éticas e equidade das intervenções

Como as revisões sistemáticas de estudos qualitativos podem auxiliar na tomada de decisão?

Elas são importantes para saber sobre a opinião pública e popularidade das intervenções em saúde

Os fenômenos locais podem se repetir em diferentes localidades e a evidência avaliada nesses estudos sumariza tais fenômenos

Os fenômenos locais são contexto-dependentes e não podem fazer parte de sínteses da evidência

O GRADE-CERQual é usado em revisões sistemáticas de estudos qualitativos. São componentes de sua análise:

Adequação dos dados coletados

Opinião pública sobre a intervenção estudada.

Limitações metodológicas do estudos incluídos

Coerência dos achados dentro da revisão sistemática

Relevância dos achados para a pergunta de pesquisa

Questões éticas dos estudos qualitativos

A certeza de evidências provenientes de estudos do tipo caso-controle e estudos de coorte são inicialmente classificadas como:

Baixa em ambas as situações

Baixa e muito baixa, respectivamente

Baixa e alta, respectivamente

Pelo sistema GRADE, ao considerar o risco de viés de um desfecho proveniente de ensaios clínicos randomizados com altos índices de abandono, seria esperado:

Rebaixar a evidência em um ou dois níveis pelo viés de atrito (desfechos incompletos)

Desconsiderar esses estudos e adotar um desfecho com melhores evidências

Conduzir novos estudos que afastem o viés de seleção (garantia do sigilo da alocação)

Ao planejar uma revisão sistemática, estabelecer uma pergunta clínica bem estruturada permite, entre outras questões:

Rebaixar os estudos observacionais

Definir os melhores testes estatísticos a serem aplicados

Avaliar o quão diretas são as evidências disponíveis 

São exemplos de fontes de heterogeneidade das estimativas de efeito a serem investigadas:

Diferenças do nível de significância estatística adotado (5% vs 1%)

Diferenças nas populações incluídas nos estudos (quadros graves vs leves)

Diferenças do tempo para identificação do desfecho (3 meses vs 6 meses)

É considerada uma estratégia para avaliar o nível de imprecisão das evidências:

Delimitar a significância estatística de um conjunto de evidências (valor p <0,05)

Identificar o tamanho ótimo da informação (OIS)

Interpretar o impacto dos valores do I² sobre os resultados

Ao observar assimetria no gráfico de funil de um desfecho, qual a conduta a ser adotada no julgamento da qualidade da evidência?

Rebaixar em um nível por suspeita de viés de publicação

Não é possível julgar o impacto nas evidências por esse resultado

Contactar autores para obter dados dos estudos que não foram publicados e estão causando assimetria

Qual seria a avaliação de um desfecho com grande magnitude de efeito?

Aumentar a evidência em um ou dois níveis caso não estejam presentes fatores que reduzem a qualidade

Aumentar a evidência em um ou dois níveis independentemente da presença de fatores que reduzem a qualidade

Rebaixar em um nível caso estejam presentes fatores que reduzem a qualidade da evidência

Por que aumentaríamos a qualidade da evidência na presença de um gradiente dose-resposta?

Devido ao aumento da confiança de que a exposição é que causa o efeito observado

Devido a esse efeito contornar limitações metodológicas e outros fatores que reduzem a qualidade da evidência

Por meio da dosagem laboratorial da dose administrada e a concentração no organismo

Segundo a proposta do sistema GRADE, são fatores que aumentam a confiança nas evidências:

Ausência de limitações importantes nos estudos avaliados (risco de viés)

Confundidores presentes e na direção oposta ao efeito observado

Desfecho com medida de efeito muito grande (risco relativo >5)

Aumento da ocorrência de eventos (aumento do risco) com o aumento da exposição

As análises de subgrupo em estudos de meta-análise:

Reduzem o grau de imprecisão das estimativas

Podem ajudar a identificar causas de inconsistência (heterogeneidade) das estimativas

Prejudicam a validade das hipóteses testadas nos estudos

Trata-se de um indicador importante na avaliação do viés de publicação:

Heterogeneidade detectada por I² acima de 90%

Assimetria do gráfico em funil (funnel plot)

Seguimento com baixa adesão (poder estatístico abaixo de 80%)

O que diferencia a avaliação da qualidade dos estudos incluídos da qualidade da evidência?

São sinônimos, a avaliação da qualidade dos estudos e a qualidade da evidência referem-se ao mesmo processo

A qualidade da evidência se refere ao novo resultado gerado pela revisão, enquanto a avaliação dos estudos individuais pondera o risco de viés de cada estudo

A avaliação da qualidade dos estudos individuais independe da avaliação da qualidade da evidência

São fatores para avaliar se a revisão sistemática está obsoleta:

Tempo de publicação maior que 10 anos

Qualidade da evidência gerada pela revisão

Disponibilidade de estudos após a conclusão da revisão

Tamanho de amostra dos estudos publicados após a conclusão da revisão

Atualizar uma revisão sistemática prévia:

Corresponde à metade do trabalho de uma revisão sistemática nova

Demanda praticamente o mesmo trabalho de elaborar uma revisão sistemática nova

O dimensionamento depende da área, mas em geral demanda pouco trabalho

O que é revisão sistemática viva (living systematic review)?

É a revisão sistemática que disponibiliza suas estratégias de buscas em cada base de dados

É a revisão sistemática que disponibiliza seus resultados em repositórios abertos

É a revisão sistemática que frequentemente atualiza e incorpora resultados da busca, durante a elaboração e após a publicação

Revisões sistemáticas são afetadas por conflitos de interesses?

Por aplicar método sistemático e transparente, esse tipo de pesquisa não é afetado por conflitos dessa natureza

Os conflitos de interesse podem impactar na imparcialidade da revisão sistemática

Há maior conflito de interesse em ensaios clínicos e o foco deve ser nesses estudos

O relato das revisões sistemáticas deve abranger:

Quando e de quem partiu a ideia inicial da pesquisa

Declaração dos conflitos de interesse dos elaboradores

Conflitos de interesses presentes nos estudos incluídos

Podem ser fontes de conflitos de interesses em revisões sistemáticas:

Benefícios – materiais ou não – para os autores elaborarem a revisão

Financiamento por instituição interessada nos resultados

Financiamento por agência de pesquisa

Qual a relevância de considerar a qualidade da evidência na conclusão da revisão?

É desnecessário considerar a qualidade da evidência na conclusão

Para esclarecer a significância estatística dos resultados produzidos pela revisão

Uma nova evidência foi produzida e a conclusão deve informar a confiança nessa evidência

Idealmente, a conclusão da revisão deve trazer implicações para:

Pesquisa

Política

Força de recomendação

Prática

Custeio

Qual seção do artigo a conclusão da revisão sistemática deve responder?

Resultados

Método

Objetivo

Recomenda-se que a conclusão da revisão informe:

A significância estatística dos resultados encontrados, por meio do valor p

A qualidade da evidência

Apresentar implicações das conclusões para prática, para política e para pesquisa

Como ocorre o processo de elaboração de uma revisão sistemática viva?

Depois que a revisão é concluída, a literatura é monitorada para saber se vale a pena repetir as buscas e incorporar os resultados na revisão sistemática

Na etapa de busca, já são configuradas atualizações automáticas e é coordenado o trabalho da equipe para periodicamente apreciar os novos estudos e incluí-los durante a elaboração e após a publicação da revisão

Na etapa de submissão ao periódico, é realizada nova busca, permitindo uma data de busca atualizada, independentemente da incorporação de novos artigos

Como evitar o documento em branco na hora de escrever o manuscrito da revisão sistemática?

Citando o PRISMA como guia metodológico que norteou a revisão sistemática

Seguindo criteriosamente cada item recomendado pelo guia de redação PRISMA

Utilizando o AMSTAR para verificar se os processos realizados foram adequados

Como a redação da revisão e sua qualidade metodológica se relacionam?

A revisão com alta qualidade metodológica apresenta boa redação científica

A revisão com boa redação alcançará alta qualidade metodológica

A redação clara e completa da revisão permite melhor apreciação da qualidade

São boas práticas de redação para revisão sistemática:

Informar a qualidade da evidência na conclusão

Utilizar o PRISMA para orientar os métodos da revisão

Gerenciar as referências com software específico

Declarar os conflitos de interesses dos elaboradores da revisão

Optar por escrita clara

Aderir às recomendações do guia PRISMA

Seguindo os 4 critérios de autoria do ICMJE, pessoas que não os atendem devem constar como:

Colaboradores

Autores

Co-autores

Contempla critério de autoria da revisão:

Concepção da pesquisa, coleta ou análise dos dados

Concordância em prestar contas de todos os aspectos do trabalho

Aprovação final da versão a ser publicada

Elaboração ou revisão crítica do manuscrito

Obtenção de financiamento para a pesquisa

Quando deve ser definidos os critérios de autoria?

Após a conclusão da revisão

Antes do início da revisão

Durante o andamento da revisão

Como contar com trabalho de pessoas fora da equipe elaboradora?

Deve ser evitada terceirização para garantir qualidade no trabalho

Ao contribuir pontualmente, deve ser dada oportunidade ao colaborador para contemplar os critérios de autoria

A pessoa que pontualmente contribuir deve ser incluída na autoria, uma vez que sem ela o trabalho não existiria

Além de atender os critérios de autoria, espera-se que uma pessoa listada como autor:

Tenha confiança na integridade dos coautores

Consiga financiamento para taxas de publicação

Saiba identificar qual foi a contribuição que cada autor representou para o artigo a ser publicado

Obtenha as respostas de Avaliação da Certificação de Revisão Sistemática e Meta-análise de Universidade Estadual de Campinas e ganhe seu certificado facilmente.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email